segunda-feira, 8 de julho de 2013

A Luz  da  Fé
Acabo de ler a Encíclica “Lumen Fidei”que, mesmo trazendo pela primeira vez na história a assinatura de dois papas, ainda reflete o pensamento filosófico-teológico de Bento XVI. Tudo indica que as duas mãos de Francisco se limitaram à última parte.
Mesmo reconhecendo com respeito que toda encíclica é expressão do magistério papal, estou convencido que a história da humanidade, em qualquer época, avança entre velhas e novas dúvidas existenciais que surgem da dramaticidade da vida. Terá a Fé respostas para tudo? O resta fazer quando não se tem respostas?
Tomo a liberdade de postar somente a última parte do comentário de Leonardo Boff à Encíclica. 
“... se constata na Encíclica uma dolorosa lacuna que lhe sobrai grande parte da relevância: não aborda as crises da fé do homem de hoje, suas dúvidas, suas perguntas que nem a fé pode responder: Onde estava Deus no tsunami que dizimou milhares de vida ou  em Fukushima? Como crer depois dos massacres de milhares de indígenas feitos por cristãos ao longo de nossa história, dos milhares de torturados e assassinados pelas ditaduras militares dos anos 70-80? Como ainda ter fé depois dos milhões de mortos  nos campos nazistas de extermínio? A encíclica não oferece nenhum elemento para respondermos a estas angústias. Crer é sempre crer apesar de…A fé não elimina as dúvidas e as angústias de um Jesus que grita na cruz:”Pai, por que me abandonaste”? A fé tem que passar por este inferno e transformar-se em esperança de que para tudo existe um sentido,  mas escondido em Deus. Quando se revelará?

Leia a Encíclica e o comentário na íntegra:


Nenhum comentário:

Postar um comentário